Contos Invertidos

Este blog foi feito para quem assume suas fantasias ou quer mais forças para realizá-las; para deixar a curiosidade de lado e partir para a realização sexual sem barreiras sociais; para você que quer ter o prazer de ser feliz! Aqui você encontrará informações, contos, imagens e vídeos sobre essa incrível forma de prazer: a inversão de papéis!
Caso tenha o interesse de compartilhar alguma experiência com inversão ou compartilhar algum conto sobre esse assunto, envie-nos um email:
contosinvertidos@gmail.com

Contato

Feed Via Email

Invertendo meu homem


Olá, meu nome é Clo. Sou uma coroa fogosa, tenho mais de 50 anos e fogo de 25. Adoro sexo gostoso e cheio de fantasias e cumplicidades. O relato que escrevo aconteceu comigo.

Passei a gostar de inversão de papéis ainda quando era casada. Fazia muito com meu marido e ele adorava. Eu chupava muito o cuzinho dele e sempre fodia o cuzinho dele com meu dedo. Eu dizia a ele que queria mesmo era ver um cacete de verdade entrando naquele cuzinho delicioso. Ele sempre se recusava, não sei até hoje se por preconceito ou se não queria mesmo, pois muitas vezes eu tinha a impressão que ele adoraria levar uma rola no cu  De minha parte eu comia ele com o dedo, apenas um dedo. Com o tempo nos separamos e a minha fantasia continuou presente dentro de mim. Só que eu queria muito mais que apenas um dedo.

Conheci outro cara que se dizia bi e acabamos transando muitas vezes, mas este também só queria dar o cú para o meu dedo. E a fantasia de comer um homem plenamente só crescia em mim, me perseguindo dia e noite.

EU buscava algo mais emocionante e excitante pois precisava acalmar o meu tesão que só crescia dia a dia. A ideia de me tornar uma mulher-macho era uma constante em todos os momentos da minha vida. Eu queria ter um consolo preso na cintura por uma cinta. Om consolo grande e grosso para comer um homem bi ou gay que me aceitasse como mulher-macho. Eu nem pensava em dar a minha buceta, eu só pensava em meter um consolo num cú, bem fundo e forte. Era isto o que eu buscava, eu até poderia dar a a minha buceta e o meu cú, mas só depois de ter fodido o homem completamente.

Na minha cidade que não é grande, é muito difícil achar um homem assim que tope todas estas taras minhas. Acabei procurando na NET, em diversos sites de relacionamento. Apareceu um interessado que disse ter amando as minhas fantasias, que eu havia escrito em meu perfil. Era um homem casado, se dizia bi e adorava ser invertido completamente por uma mulher fogosa e coroa. Começamos a nos corresponder e a química, mesmo virtual, se deu imediatamente e o nosso tesão crescia a cada dia.

Com o passar do tempo eu já não aguentava mais de vontade de ver e ter aquele homem na cama comigo. EU podendo finalmente realizar minha fantasia de ser mulher-macho dele. Ele sempre me enviava vídeos e fotos de mulheres comendo cuzinho de homem. Aquilo me transtornava cada dia mais e mais. Não aguentando mais de vontade marquei de me encontrar com ele. Ele morava em uma cidade distante, mas mesmo assim eu iria até lá. Queria desesperadamente encontrá-lo.

Chegando lá eu o encontrei em um apartamento que ele tinha escondido da esposa dele. Minha surpresa foi maravilhosa. Quando ele abriu a porta para eu entrar me deparei com ele vestido de mulher, maquiagem no rosto, peruca, todo depilado e sandálias com as unhas pintadas. Parecia mais uma puta, bem safada e escrota, muito sexy e provocante.

Meu tesão que já era grande, tomou proporções inimagináveis. Fui empurrado ele (ou ela, sei lá) para dentro, Fui logo beijando loucamente aquela boca carnuda. Arrancando a roupa dela (vou tratar ele de ela daqui para frente) peça por peça, como um macho tesudo faz. Cai de boca nos mamilos depilados e comecei a chupá-los loucamente, deliciosamente. Ela tinha os seios meio grandes, pareciam até de mulher mesmo. Eu mamava enquanto me despia completamente. Nós duas nuas, ele tentava passar a mão na minha buceta e eu não deixava. Eu dizia para ela ter calam, somente depois que fosse minha poderia colocar a mão na minha buceta que a esta altura escorria um mel bem viscoso de tento tesão que eu estava.

De tanto tesão que eu estava eu acabei jogando ela para o chão, Subi em cima dela e fui lambendo ela todinha, Lambendo aquele corpo lisinho, depiladinho que era só meu. Ela nunca tinha se depilado antes, mas tinha feito isto especialmente para mim. Acabei chegando no pau dela, chupei deliciosamente, mas o que eu queria mesmo era aquele cuzinho. Virei-a de bunda para cima, cai de boca naquele cú delicioso, chupei e meti a minha língua. Deixei todo melado de saliva. Nossa que sabor delicioso que senti naquele cuzinho lindo e prestes a ser arrombado completamente.

Ele(a) gemia loucamente de prazer. Dei uma pequena pausa para ela pegar o cacete que tinha comprado especialmente para aquele momento, segundo os desejos dela e principalmente dos meus desejos.

Quando ele trouxe o consolo eu quase desmaiei de tesão, surpresa.e felicidade. Era um cacete enorme, tinha uns 32 cm por uns 6 de largura. Nossa que lindo. Fiquei louca, vesti correndo aquele mastro lindo. Estava radiante, faria dele uma putinha, um viadinho, matando assim meu desejo de muitos anos. Eu seria finalmente o macho dele e estava disposta a comer aquele cú de uma forma que ele nunca mais retornaria ao normal. Ele seria uma putinha para sempre depois de ser fodida por um macho como eu sedenta a tantos anos por comer de verdade um cu.

Já fui fazendo ela se ajoelhar e chupar meu pau (me sentia um macho de verdade e com um cacete de verdade). Eu mandava ele chupar mais e mais. Coitada, quase nem cabia naquela boquinha, mas eu estava enlouquecida e só queria fuder. Comia aquela boca como se fosse uma buceta deliciosa, empurrando até a garganta e vendo ela engasgar e continuar a chupar.

Enquanto ela chupava eu falava enlouquecida para ela olhar bem aquele cacete, pois depois que eu enterra-se todinho no cuzinho dela ela nunca mais teria pregas no cu. Eu deixaria lisinho. EU perguntava se era isto que ela queria, ela balançava a cabeça dizendo que sim e continuava chupando loucamente também.

Não aguentando mais mandei-o ficar de 4, chupei o cuzinho dela mais uma vez, deixando bastante cuspe nele. Encostei a cabeça da minha pica naquele cu que se contraiu involuntariamente de tesão e de medo. Ela agora sabia que não tinha mais volta, seria completamente fodida e rasgada. Estava difícil de entrar, eu empurrava mas não entrava. Tirei, passei um pouco de creme e coloquei de novo forçando. Ela gemia de dor implorando para eu ir devagar, até que a cabeça entrou. 

Ela se retorceu toda, gemeu e pediu calma, pediu não, quase implorou. Eu parei com a cabeça toda dentro, deixando ela se acostumar um pouco com o volume imenso dentro daquele cu delicioso. Mas continuava a dizer no ouvido dela que agora ela iria virar mulher mesmo. EU falava: se prepara seu viado do cacete, agora vou te transformar em mulher e você me transformar num macho de verdade.

Vou arrebentar teu cu todo, vou deixar um buraco oco, parecendo um túnel. Ela gemia, pedia calma eu parada com a cabeça enterrada somente falando no ouvido dela como eu iria arrombá-la. Em um dado momento ela se distraiu um pouco, pois já estava acostumando com a cabeça dentro do cu. Neste momento eu meti tudo de uma vez, atolei até o talo, nossa ele gritou de dor, tentou sair desesperado, mas eu segurava firme a cintura dela e meu pau todinho dentro dela. 

Fiquei parada esperando ela se acalmar e se acostumar. Depois de alguns minutos, comecei a tirar e empurrar de novo num vai e vem delicioso, os gritos dela já não existiam mais, somente gemidos de prazer, ainda com alguma dor, mas com mais prazer do que dor. Ela começou a rebolar, gemia como uma cadela no cio, pedia mais e mais. 

Implorava mesmo para eu meter forte. Meu tesão foi para as nuvens vendo aquele macho se entregando como uma mulher, se entregando totalmente, implorando para eu meter. Meu sentimento de mulher-macho crescendo, o tesão me enlouquecendo. Comecei a bombar alucinadamente, Tirava tudo e enterrava tudo de uma vez. Ela gemia, dizia que eu era o macho que ela tinha esperado a vida toda e pedia mais e mais.

Eu bombava muito, ela gemia, dizia que estava doendo e ardendo, mas queria mais, que era para eu não parar queria ser comida o dia todo. Meti por mais de uma hora, Deixando aquele cu irreconhecível. Ela cheia de prazer. Tirei meu cacete, nossa que felicidade. Ver aquele cu todo aberto, completamente arrombado, meio sangrando e meio sujo de merda. 

Meti o pau na boca dela, mandei chupar e deixar limpinho. O que ela fez com gosto, chupou deliciosamente. Em seguida nos beijamos e pude sentir o sabor de nossos sexos na boquinha dela, comemorando que agora ela não tinha mais um cú, pois eu tinha transformado aquele cu numa buceta arreganhada e toda aberta. Não tinha mais pregas.

Depois de alguns dias a minha putinha já tinha se recuperado, ai comi ela de novo, confirmando o arrombamento e garantindo que a buceta que eu tinha criado no lugar que um dia foi o cu dela se firmasse para sempre ... mas esta é outra história ...